Login

Register

Login

Register

Tag: receitas

18
mar

Delicioso Risoto de Bacalhau

Gente, Risoto de Bacalhau, facim, facim, quem gosta?

Fim de semana gostoso, família em casa, todos esperando um prato diferente mas você não quer revirar a cozinha e, afinal, você quer dividir esse momento com eles e não perder tempo atrás das panelas, né? Uma das coisas que mais facilita uma refeição que você precisa servir muitas pessoas é a proteína e o carboidrato em um só prato. E risoto é risoto, né? Todo mundo gosta!

Risoto de Bacalhau
Risoto de Bacalhau

Ingredientes:

  • 2 xícaras bem cheias de arroz arbóreo (para risoto)
  • 1 kg de lombo de bacalhau desossado e dessalgado
  • 150ml de vinho branco
  • 3 colheres de azeite
  • 3L de água
  • 1 cenoura cortada em pedaços de 2cm
  • 1 alho poró cortado em pedaços de 2cm
  • 1 cebola pequena cortada em 4 e
  • 2 cebolas pequena picadinha (ou meia grande)
  • 3 dentes de alho espremidos
  • Sal e pimenta à gosto
  • Ervas picadinhas (salsinha ou cebolinha)

Como fazer:

Ferva 2L de água e coloque o bacalhau. Após abrir fervura, deixe escaldar por 5 minutos e retire o bacalhau da água com uma peneira grande. Em uma frigideira grande, coloque 2 colheres de azeite, 1 cebola picadinha, 1 alho espremido, e o bacalhau. Deixe refogar até dar uma douradinha e então acrescente sal e pimenta do reino, desligue e reserve.
Em uma caneca grande, ferva 1 litro de água e acrescente a cenoura, a meia cebola cortada e o alho poró e deixe ferver por 20 minutos, em fogo baixo (após levantar fervura), caneca tampada.

Em uma panela alta aquecida, coloque 1 cebola picada, 2 dentes de alho espremidos e o arroz arbóreo e deixe-o fritar por 2 minutos ou até o alho começar a dourar. Acrescente o vinho e, assim que ele tiver evaporado um pouquinho, comece a acrescentar o caldo de legumes, só água e vá mexendo até que o arroz cozinhe por fora (o ideal e que ele fique “al dente”, um pouco durinho dentro). Quando chegar a este ponto, deslique a panela, acrescente o bacalhau, ajuste o sal e a pimenta e acrescente as ervas, mexendo bem para ficar bem cremoso. Eu não acrescento coisas como creme de leite ou queijo pois acho que rouba um pouco o gosto, mas uma colher de manteiga ao final acho que cai bem e dá um certo brilho ao prato. Depois é só servir!

11
ago

Salada Oriental na Cestinha Crocante

Como fazer uma salada oriental na cestinha crocante de massa de harumaki? Bom vamos ao início da história.

Amo comida oriental. Todas. Japonesa, chinesa, tailandesa, coreana… Me encanta o mix de sabores que a cultura oriental valoriza, equilibrando salgado, doce, azedo, amargo, picante e ainda trazendo um novo sabor, o umami. Para quem não conhece, é um novo paladar identificado pelos japoneses com gosto característico do glutamato (uma substância da categoria dos aminoácidos), presente em alimentos como embutidos, peixes, alguns queijos, crustáceos, shoyu e até tomates.

Mais sobre o Umami aqui: https://pt.wikipedia.org/wiki/Umami.

Esse equilíbrio faz com que a comida dessa região seja única e de forte personalidade.

Para celebrar essa explosão de sabores preparei uma receita nova que você pode fazer de entrada e leva muito charme. A massinha de harumaki (aquele pastelzinho japonês que vem recheado de vegetais ou carne) você pode encontrar em diversas lojas ou empórios japoneses que vendam congelados. Você vai precisar também de uma forma de cupcake e vai usá-la de cabeça para baixo. Também dá pra fazer com massa de pastel ou de lasanha, mas já aviso que o resultado não é o mesmo, pois a massa de harumaki tem uma textura bem fininha que vai contribuir com uma crocância sem igual!

Para a cestinha:

– massa de harumaki
– azeite de oliva
– sal a gosto (não é obrigatório)

Para a salada:

– 2 tipos de folhas verdes picadas em tiras finas (menos agrião e rúcula)
– cenoura crua ralada fininha
– broto de feijão cru picadinho
– cebolinha picada fininha
– camarões grandes (2 por cestinha)
– manteiga
– pimenta do reino e sal a gosto
– sementes de gergelim preto e dourado torrados

Para o molho:

– É o molho oriental 2, sua receita está nesse post:
https://www.wondercook.com.br/tres-ideias-molho-para-salada-mel/

Untar a forma de cabeça para baixo, ou seja, do lado externo, com o azeite. Você vai pegar a massa quando estiver bem maleável e totalmente descongelada e moldá-la apertando bem firme envolta da forma. Em forno médio (uns 160ºC), coloque as massinhas para dourar.

Enquanto elas douram, em uma tigela, misture as folhas, a cenoura, o broto de feijão e a cebolinha (guarde um pouquinho da cebolinha para decoração) e reserve. Numa frigideira untada de manteiga e em fogo alto, grelhe rapidamente os camarões, temperando-os com sal e pimenta do reino, apenas até ficarem levemente dourados. Retire as massinhas do forno (cuidado, elas douram rápido porque a massa é fina!), encha as cestinhas com a salada, coloque sobre ela os camarões e sobre eles o molho. Decore com a cebolinha restante e o gergelim. Você vai encontrar nesse prato um mix bem equilibrado de salgado, doce, azedo, picante e ainda um pouquinho de umami do gergelim. 🙂

16
dez

Gosta de coquetel com sakê? 3 receitas para rever seus conceitos!

Para quem imaginou que os drinks de sakê se resumem apenas a tradicional “saquerinha”, publicamos 3 opções incríveis que vão mudar os seus conceitos!

1 – Sumidagawa Boshoku: Este drink foi criado em 1995 para uma festa dedicada ao designer Tadao Nakano por Kazuo Uyeda um dos nomes mais importantes da coquetelaria Japonesa e criador de vários drinks, e da técnica Hard Shake.

Rendimento – 1 Drink

30 ml de Sake Nambu Bijin Koshu, levemente seco e ácido

30 ml Vodka

30 ml Vermute Rosé

5 ml Curaçau blue

Drink Mexido, servir em uma taça coupé e finalizar com “zest” de limão siciliano

Sumidagawa Boshoku

 

2 – Pineapple Dragon: Este drink foi inspirado no clássico Pisco Punch e usa os ingredientes do drink para ressaltar os sabores leves e frutados do Sake.

Rendimento – 1 Drink

40 ml de Sake Ryujin Dragon God  de baixa acidez

20 ml Pisco

20 ml Limão Taiti

10 ml Xarope simples 2:1

4 cubos de abacaxi

Drink Batido, servir em uma taça coupé e finalizar com “zest” de limão Taiti

Pineapple Dragon

 

3 – Dessert Martini: Este drink foi inspirado no clássico Gordons Cocktail e usa o Sake no lugar do Jerez, isso traz ao drink notas mais marcantes do Sake e um leve toque de acidez a mais que combina muito com o bitter.

Rendimento – 1 Drink

40 ml de Sake Takashimizu dessert extra doce e baixa acidez

40 ml Gin

2 Dashes Bitter de laranja

Drink Mexido, servir em uma taça Martini e finalizar com “zest” de limão Siciliano

Dessert Martini

 

Você gosta de Sakes especiais? Me pergunte eu te falo o melhor local de São Paulo para comprar!

 

Veja também essa receita de Moscow Mule!

20
set

Receita de massa fresca diferente

Massa fresca, comparada às industriais é algo que realmente faz diferença. Não é muito prático fazê-las em casa mas é bem fácil quando se tem uma máquina, manual ou elétrica. Sempre que faço, fico imaginando que loucura era a trabalheira que as mamas italianas tinham nos primórdios para esticar uma massa sem máquina, até hoje algumas delas fazem questão de passar horas esticando, esticando, esticando… bom, sem dúvida o sabor compensa depois. Até porque as farinhas italianas são realmente diferenciadas. Na Europa eles possuem uma variedade diferente de trigo, com glúten mole, mais macio, então se tiver acesso a uma farinha italiana (do tipo 00), vale muito a pena. Mesmo assim, é de se admirar o amassa-amassa tradicional de longa data.

Receita de Massa Caseira

Massa Caseira

Bom aqui na Ámerica, mais precisamente em casa, fazemos de vez em quando, aos finais de semana e cada vez testamos uma receita nova. Uma das que mais gosto, vou ensinar agora.

A mais tradicional receita diz para usar 1 ovo para cada 100 gramas de farinha. Se quiser a massa mais amarelinha, pode usar só a gema, aí nesse caso são 2. Você pode tb substituir 1/3 da farinha por semolina, que também deixa mais amarelinha e macia, mas não é tão fácil de encontrar como a farinha normal. Aqui, vamos fazer uma bricadeira e trocar 1 ovo por 50ml de vinho branco (chardonay, por exemplo). Usei a princípio 500g de farinha 00, 4 ovos e o vinho.

Como fazer:

Em uma tigela, coloque a farinha e faça um espaço no meio. Coloque os ovos já misturados (não é necessário bater, apenas misturar) ou coloque os ovos inteiros e bata ali mesmo. Acrescente o vinho. Misture com a farinha o máximo que puder, pode começar com o garfo e terminar com a mão. Passe farinha na mão e continue amassando para estimular o glúten. Não pode ficar grudenta, tem que virar uma bola de massa macia e elástica. Quando chegar a esse ponto, deixe na tigela e coloque-a coberta com filme plástico dentro da geladeira por 1/2 hora. Depois abra com o rolo na mesa (espalhe farinha para não grudar) ou estique com a ajuda da máquina.

A massa fica macia, cozinha super rápido e não fica com gosto do vinho. Experimente!

 

Veja também a Receita de Focaccia sem Glúten da Paula!

 

Save

Save

31
ago

Lasanha vegetariana

Não conheço quem não ame lasanha. Um prato completo, basta ele e o almoço está pronto. No máximo, para acompanhar, uma saladinha. Tipo de “confort food”,  essa versão de lasanha vegetariana não pesa (tanto) na consciência, fica levinha e muito suculenta.

Ingredientes:

– 1 berinjela média

– 1 abobrinha média

– 1 tomate grande, ou 2 pequenos

– 1 pimentão pequeno ou 1/2 pimentão médio, amarelo ou vermelho
(o amarelo é mais suave e adocicado)

– 1/2 cebola média

– 1 dente de alho

– 2 latas de tomate pelati de 400g, ou 3 xícaras de molho de tomate caseiro

– 2 colheres de azeite extra virgem

– Massa de lasanha

– 300g de queijo parmesão fresco

– Sal e pimenta do reino moída na hora

Como fazer:

Fatie finamente a beringela, a abobrinha, o tomate, o pimentão e a cebola. O segredo que aprendi para que a lasanha fique bem úmida sem que seja necessário exagerar no molho é cozinhar um pouquinho os legumes no vapor antes de montá-la. Em seguida, acrescente sal, pimenta do reino e reserve.

Para preparar o molho, em uma panela funda coloque as duas colheres de azeite extra virgem e frite a cebola e em seguida o alho sem dourar muito,  acrecente o tomate pelati previamente cortado (pois os tomates vem inteiros). Deixe o molho apurar por 10 minutos. Acrescente sal a gosto.

Monte a lasanha em uma travessa retangular (que possa ir ao forno, claro), começando pela camada de molho, depois intercalando a massa com os vegetais e sempre deixando a massa entre camadas de molho, para cozinhar bem. Sugiro juntar a beringela e o pimentão em uma camada de vegetais, e a abobrinha e o tomate em outra. No meio, coloque tb uma camada do parmesão fresco. Cubra tudo com uma última camada de molho, depois de queijo e aí é só levar ao fogo médio por 40 minutos.