Login

Register

Login

Register

As ruas de paralelepípedos de Cartagena e o mar de sete cores de San Andrés são as duas memórias mais inesquecíveis da minha recente viagem à Colômbia. Mas, se alguém me pedir para eleger um sabor, não tenho dúvida: será a limonada de coco, a receita mais refrescante dos colombianos.

Meu primeiro encontro com a bebida não podia ser mais perfeito: foi no lobby do hotel, depois de dois voos e horas de viagem. No check-in, gentilmente nos ofereceram um drink de boas-vindas, sem álcool. Era a lemonada de coco con herbabuena (a nossa hortelã). Foi uma paixão instantânea – virou uma obsessão experimentá-la em cada restaurante que visitei.

Logo tratei de ir investigar a receita com os locais, e sua base não poderia ser mais simples: limão, coco, açúcar e gelo. Exceto por um ingrediente que não temos aqui no Brasil, a crema de coco. “Não adianta usar leite de coco, não fica igual”, me advertiam os colombianos. Então, fiz uma escala no supermercado e comprei três latinhas do creme para trazer na mala – cada uma custou cerca de 6 reais.

Alguns colombianos fazem seu creme de coco em casa mesmo, fervendo o coco ralado e açúcar por várias horas. Para quem quiser se aventurar, encontrei esse vídeo bonitinho no YouTube – de uma senhorinha que faz a receita a olho. É uma graça.

Cartagena

Mi Cartagena querida: o cenário ideal para uma limonada de coco

E agora aqui vai a receita da limonada, numa proporção suficiente para umas seis tacinhas. No liquidificador, junte três copos grandes cheios de gelo, o suco de três limões espremidos e 200 ml de crema de coco. Basta bater tudo até o gelo quebrar e voilá!

A receita que fiz aqui em casa teve o mesmo toque do hotel de Cartagena onde provei a limonada pela primeira vez: ao final, acrescentei algumas folhinhas fresquinhas de hortelã, colhidas na minha horta, e bati por mais alguns segundos.

Na hora de servir, a sugestão é enfeitar as taças com rodelas de limão ou raminhos de hortelã. Taí um jeito fácil e charmoso de se refrescar no calorão – ou, melhor ainda, de se teletransportar para as adoráveis ruas de Cartagena.

 

 

mm

Débora Fortes

Especialista em Marketing e Comunicação, com um pé na tecnologia e outro na cozinha.

Economista e jornalista de formação, sempre trafegou pelo mundo da comunicação e da tecnologia. Trabalhou nas duas maiores editoras de revistas do país e hoje vive viajando pela América Latina como executiva de Marketing (mas sempre dá um jeito de colecionar alguma experiência gastronômica entre uma reunião e outra). Acumula muitas milhas no fogão e dois cursos na Le Cordon Blue de Paris. Quando bate o stress, sua terapia é na cozinha – de preferência com a mão na massa de pizza napolitana ou de nhoque.

Deixe um comentário