Login

Register

Login

Register

janeiro 2017

31
jan

Como cozinhar como um tailandês

Como contei para vocês no último post, a experiência gastronômica mais bacana que tive na Tailândia foi fazer aulas numa cozinha sem paredes, toda aberta e cheia de apetrechos – e aprender a cozinhar como um tailandês. Fiquei devendo mostrar um pouco mais dessa aventura.

Muita gente me pergunta onde encontro indicações para os cursos que faço nas viagens. Não tem uma fórmula única: pode ser a dica de um amigo, alguma matéria que li ou alguma das minhas (muitas) investigações online. Foi esse o caso na Tailândia. Uma turma de amigos já tinha me indicado um curso bacana para fazer em Phi Phi. Mas acabei descobrindo outro antes, em Krabi, que me deu vontade de fazer – com o estímulo extra de que o dia seguinte não ia dar praia, porque estava prevista uma chuva pesada. Os reviews no Trip Advisor eram empolgantes, e a escola estava a menos de um quilômetro do hotel. Escolhi quatro pratos que queria aprender e me inscrevi. O nome da escola é Zest.

Comida tailandesa - Chef Sonthaya

O chef Sonthaya colhe alguns dos temperos em sua própria horta, nos fundos da cozinha

A experiência começa às oito da manhã. O próprio chef – o simpático Sonthaya – busca o aluno no hotel para uma visita ao mercado local. No meu caso, logo entendi que eu tinha praticamente ganhado na loteria. Naquela segunda chuvosa, eu era a única aluna de Sonthaya.

No mercado, o chef fez um detalhado tour comigo e foi explicando os diferentes ingredientes tailandeses. Depois, me deu um tempo para explorar a área sozinha enquanto ele escolhia os ingredientes para os quatro pratos que íamos cozinhar. Aproveitou, também, para fazer as compras para o jantar. Naquela noite, ele ia receber amigos da Suíça para um churrasco de frutos do mar.

Depois, hora de dirigir até nosso QG e trabalhar nas criações. De cara, me apaixonei pela cozinha do chef Sonthaya. Era toda aberta, cheia de utensílios e com um jardim de legumes e temperos ao fundo. O chef me explicou que as cozinhas abertas são uma tradição na Tailândia, pelos cheiros intensos que a comidas exalam – e pela fumaça que podem causar também.

Começamos por um módulo que pedi para acrescentar ao curso, o de carving. Lá, é um costume servir frutas e legumes com cortes especiais, bem desenhados. Sonthaya me apresentou seu kit de facas e começamos a experiência com o alho poró. Depois, pepino, cenoura. Ele explicava e me deixava sozinha praticando. “Só assim a gente aprende”, dizia. Gostei de aprender, mas não é algo que tenho muita paciência para fazer, confesso.

Terminei minhas tarefas e fomos para a etapa de preparo dos ingredientes dos quatro pratos. Na cozinha tailandesa, que exige uma combinação complexa de temperos e itens, é essencial deixar tudo separado e organizado antes de ir de ligar o fogo. Se não, o resultado pode ser desastroso.

Comida tailandesa - Cozinhando na Tailândia

Em meu dia de chef tailandesa, preparando um pad thai na cozinha aberta do chef Sonthaya

Começamos com o green curry, o meu prato predileto. Coentro, pimenta, fingeroot (uma espécie de gengibre), alho, cebola e companhia foram para o pilão – tudo isso tem de virar uma pasta. E dá-lhe força, nada de delicadeza para amassar bem. Descobri naquele dia como erra essencial ter um pilão em casa e, na volta, me dei um de presente de Natal. Além da pasta, deixamos pronta a base de molhos, com molho de peixe, de ostra e açúcar de palma, além de frango, as berinjelinhas, as folhas de manjericão doce…

A dinâmica foi parecida também para a preparação de um dos pratos mais populares da Tailândia, o pad thai, também composto das etapas de pasta e de molho. Minha terceira escolha foi a salada de papaya (que é um mamão verde com gosto bem diferente do que comemos aqui), que é servido em lâminas com cenouras, tomatinhos, temperos (muita pimenta!), amendoins, camarões desidratados. Para o molho, de novo molho de peixe e açúcar de palma, agora acompanhados de suco de limão e molho de tamarindo. O último prato, que a essa altura já era algo simples perto dos dois primeiras, era um frango com gengibre, o menos apimentado. Mal imaginava que em poucos minutos mais meu primeiro banquete tailandês já estaria pronto.

Pratos tailandeses

Voilá, os quatro pratos do curso, decorados com os legumes recortados

Com os ingredientes todos dispostos numa grande mesa, separados por tipo de prato, começamos a etapa do fogão. Em poucos minutos, cozinhamos o green curry, depois passamos para o pad thai e então para o frango com gengibre, em uma grande panela wok. Por último, misturamos os ingredientes da salada. A última etapa era a da finalização, algo importantíssimo para os tailandeses. O chef escolheu diferentes travessas para os pratos e adornamos com os legumes e vegetais que moldamos no início da aula. Voilá! Embalada pelo barulhinho da chuva fui dando a primeira garfada em cada um dos pratos. Todos os quatro estavam impecáveis. Foi um daqueles momentos em que dá vontade de fazer o tempo parar.

Deixo aqui registrado, de novo, o meu obrigada ao chef Sonthaya por compartilhar com gente de tudo mundo as táticas tailandesas de como cozinhar. E, para você, eu deixo a dica, se uma hora dessas passar lá pelas bandas de Krabi.

 

 

Leia também meu texto sobre O Tempero da Tailândia!

26
jan

Olha o Whisky Single Malt entrando na coquetelaria em grande estilo!

Pra quem imaginou que seria impossível ou um grande pecado usar um whisky single malt na coquetelaria, publicamos 3 receitas incríveis que vão desmistificar esses conceitos:

Penicilin
Um dos clássicos contemporâneos mais famosos, foi criado em NY pelo bartender Sam Ross.

Rendimento – 1 Drink

50 ml de Whisky Glenmorangie

20 ml suco de limão siciliano

20 ml Xarope de mel 1:1 (ou substitua pelo mel puro)

2 laminas de gengibre maceradas

dash de Whisky Ardbeg

Drink Batido, servir em um copo Rocks e finalizar com uma lamina de gengibre.

Penicilin

Smoked Martini
Uma variação do clássico Dry Martini que combina as notas botânicas do Gin com as notas defumadas, marítimas e de especiarias do Whisky Ardbeg.

Rendimento – 1 Drink

50 ml Gin

10 ml Ardbeg

2 dashes de bitter de laranja

Drink Mexido, servir em uma taça Martini e finalizar com casca de limão

Smoked Martini

Smoked Martini

Black Nail
Uma releitura do clássico Rusty Nail, que equilibra a doçura do licor com a parte salina e de especiarias do Whisky Ardbeg.

Rendimento – 1 Drink

45 ml Ardbeg

15 ml Drambuie

2 dashes de Angostura

Drink Mexido, servir em um copo Rocks e finalizar com zest de laranja

Black Nail

Black Nail

Você gosta de Whiskies Single Malt? Me pergunte eu te falo o melhor local de São Paulo para comprar!

Fotos: Jessica Lin – timeout.com e catalogomh.com.br

 

Veja também como fazer um Dry Martini Clássico!

24
jan

Flatbread sem glúten

O Flatbread é um pãozinho achatadinho, delicioso! E super rápido de fazer! Excelente para quem quer servir um snack rápido!

FLATBREAD

Ingredientes

1/2 xíc (100g) de batata doce cozida e amassada, a batata precisa estar bem úmida e macia
1 ovo (quem não puder ovo, faz o gel de linhaça, 1 col sopa de linhaça para 2 col sopa de água fervente)
2 col sopa de azeite
2 col sopa de água
2 col sopa de farinha de arroz (colheres bem cheias, não é medida padrão)
1 col sopa de farinha de linhaça dourada
1 col sopa de polvilho doce ou polvilho azedo
1 col chá de fermento para bolo
1/2 com chá de sal

Como fazer
Comece misturando o ovo, a batata cozida e amassada, a água e o azeite. Mexa com garfo até formar um purê. Depois acrescente os secos e incorpore bem até a massa formar uma bola. Fica meio grudenta, mas não mole demais. Abra sobre filme plástico, corte, e leve pra assar em forno preaquecido (180 graus) por 20 minutos.
Veja também como fazer Focaccia sem Glúten!
19
jan

3 documentários do NetFlix que vão te dar uma visão geral sobre o mundo dos vinhos

Gosta de Vinhos? Aí vão 3 documentários que vão falar de dicas sobre vinhos, sobre produtores ao redor do mundo, qualidade em processos, muito sobre uvas, a difícil profissão de sommelier, e dicas de bons vinhos, com certeza!

SOMM

Este primeiro retrata a aventura de 4 sommeliers se arriscam fazer o curso para o prestigioso e quase impassável exame que dá direito ao título de mestre em vinhos.

Dicas sobre Vinhos - Documentários

NetFlix – SOMM

SOMM – Dentro da Garrafa

Viticultores e sommeliers mergulham nos mistérios do vinho e abordam desde de sua deliciosa história até os modos de fabricação e comercialização.

NetFlix – SOMM Dentro da Garrafa

SOUR GRAPES

Conheça uma história de excessos e desilusões com o caso fascinante de falsificação de vinhos e um golpista que roubou milhões dos investidores.

Dicas sobre Vinhos - Documentários

NetFlix – Sour Grapes

Quer saber mais sobre vinhos, me pergunte e eu respondo!

Fotos: Netflix

16
jan

Camembert Empanado com Mel de Trufas

Fazer um queijo camembert empanado é para arrasar. É uma entrada que todo mundo gosta e nunca sobra nada! Super fácil, não requer grandes habilidades. Mas tem que fazer na hora, afinal o gostoso é comer ele quentinho, com o queijo esticando. 😉

Ingredientes:

  • Um queijo camembert ou brie redondo
  • Um ovo
  • Farinha de rosca ou farinha panco
  • Óleo para fritar
  • 1 colher de sopa cheia de mel de trufas
    (ou 1 colher de sopa mel + 1 colher de chá aprox. de azeite trufado)

Deixe o queijo por ao menos 1 hora na geladeira e retire apenas na hora de usar. Pegue dois pratos fundos e no primeiro cubra o fundo com a farinha. No segundo, coloque o ovo e bata-o bastante com o fouet ou garfo, para que saia bem o cheiro de ovo.

Passe o queijo no ovo, dos dois lados e depois passe-o na farinha. Repita a operação. Em uma frigideira pequena, coloque o óleo até mais ou menos a metade da altura do queijo. Assim que o óleo estiver quente, coloque o queijo empanado e frite. Não utilize um óleo usado, ele pode deixar um gostinho indesejado no queijo. Ao ver que a parte de baixo já está dourada, é a hora de virar. Use um prato para ajudar nesta parte, pois pode ser uma parte perigosa. Coloque o queijo no prato, vire-o (devagar para não estourar) na escumadeira ou em outro prato e coloque-0 de novo na frigideira. Dourou, retire e deixe escorrer um pouquinho no papel toalha.

Em uma tigelinha coloque a colher de mel e o azeite ou o mel trufado e coloque no microondas apenas o suficiente para derreter o mel, eu coloco apenas 30 segundos.

Coloque o queijo em um prato bacana e espalhe o mel por cima. Sirva com torradas ou uma baguete fatiada. Ele fica crocante por fora e derretido por dentro!

 

Veja aqui uma sugestão de prato charmoso para você usar na hora de servir!